Tags

, , , , , , , , ,

Não é nada super novo, mas, nesse primeiro post da sessão, não poderia deixar de falar do La Parisienne, guia de viagem e estilo, escrito – em parceria com a jornalista Sophie Gachet – por Inès de la Fressange, modelo francesa que assinou o primeiro contrato exclusivo com uma marca, nos anos 80. E a marca foi a Chanel. Ou seja, a moça não é pouca coisa. Inès, aliás, não pode mais ser chamada de “moça”. Não que isso seja ruim. Do alto de seu um metro e oitenta de altura, a ex-modelo de 53 anos sustenta praticamente a mesma forma física de quando desfilava vestindo as criações de Karl Lagerfeld. O que voltou a fazer em 2011, quando percorreu a passarela no desfile de Primavera/Verão da Chanel.

Resumindo, Mademoiselle de la Fressange PODE. E nesse primeiro Thats, trago um look do livro La Parisienne. Uma curiosidade, a menina da foto – e de várias outras ao longo do livro – é a filha mais velha de Inès, Nine, de 16 anos. Segundo a autora, ela queria uma “pessoa normal” nas fotos, não uma modelo. Dá para ver que Nine herdou a beleza e o biótipo da mãe. Essa sortuda.


Você também pode montar esse look utilizando peças de lojas com preços bastante acessíveis.

(Vestido: Renner, R$89,90 / Cardigan: Marisa, R$59,90 / Sapato: Riachuelo, R$109,90 / Bolsa: Renner, R$59,90 / Relógio: Magazine Luiza, R$149,90)

A primeira opção é válida para meninas altas ou de pernas longas, já que o babado abaixo do quadril encurta as pernas. O sapato oxford dá estilo e combina com o florido do vestido.

(Vestido: Renner, R$89,90 / Cardigan: Marisa, R$39,90 / Bota: C&A, R$189,90 / Bolsa: C&A, R$69,90 / Relógio: Magazine Luiza, R$139,90)

E segunda opção é para meninas mais baixinhas, que devem evitar vestidos com corte abaixo do quadril, pois isso diminui as pernas. E o que diminui as pernas, diminui a altura. Nessa opção, o look está “trocado”. O vestido é liso, com cintura marcada e a atenção está no cardigan listrado. O efeito é tão chique quanto o “original”. Outro bom truque é o decote V, que alonga a silhueta.

Quem sofre com o problema da barriguinha saliente pode optar por vestidos com cintura imperial, aquela marcada logo abaixo do seio. Meninas com quadril largo devem procurar vestidos com corte evasê, a famosa saia em A. Outra boa ideia é misturar texturas, uma tendência em alta nesta estação. Tente um vestido liso, com cardigan mais grosso – que dê para perceber a textura da lã – e jogue com meia calça rendada.

A atriz Chloë Sevigny exagerou na combinação de peças com tons muito parecidos

Já este é um exemplo do que NÃO fazer. A ideia é a mesma, apesar de ser uma camisa e não um cardigan por cima do vestido. O problema nesse look é a falta de contraste entre a cor do casaco e a da estampa do vestido. O corte do vestido também não ajuda: ele é meio “sacudo” na parte de cima e não tem nenhum decote que o deixe mais “interessante”.

Anúncios