Tags

, , , , ,

Você é daquelas que, assim como eu, não recusam um bom esmalte? Não abrem mão de estarem sempre com as unhas feitas? Então é por isso que perguntamos a opinião deles sobre esmaltes.

No segundo post da seção “O que eles pensam”, os nossos rapazes contam pra gente as suas opiniões a respeito de quatro tipos de esmaltação: clássica, espalhafatosa, colorida e texturizada.

Clássica

O tempo passa, as tendências mudam e alguns esmaltes parecem nunca sair de moda. É o caso dos esmaltes vermelhos, nude e as clássicas francesinhas, que combinam com todo o tipo de pessoa e pele.

  • André: Esmaltes assim são ótimos para o dia-a-dia das mulheres. Cores básicas, discretas, ou, até mesmo, o vermelho básico são sempre uma boa combinação com qualquer tipo de roupa. O interessante desse tipo de esmalte é que, com ele, as mulheres podem sempre manter as mãos bonitas e bem cuidadas sem maiores preocupações.
  • Bruno: Cores discretas são muito boas. Odeio sair com uma mulher que começa a falar de unhas assim que qualquer pessoa elogia sua cor de esmalte ou o que for. Vocês têm uma hora INTEIRA dentro do salão pra falar sobre isso! Poupem seus namorados. Nota 10!
  • Jony: Tons neutros e clássicos (com exceção do vermelho, que apesar de clássico, ainda tem seu destaque), na minha opinião, passarão despercebidos para a maioria dos homens. Simples assim. Fazem mais sentido para o dia-a-dia e ocasiões informais.
  • Lucas: O nome diz tudo. Se é clássico, alguma motivação há. Nada como uma unha bem feita e discreta, que combine com o look. Passando um visual elegante. Minhas preferidas, sem dúvida.

Espalhafatoso

Pode variar entre nail art mais simples até o estilo “olhem pra mim, estou aqui”. No Brasil não é muito comum encontrar mulheres que colem acessórios nas unhas, furem ou encham de badulaques. Aqui, no hemisfério sul, no máximo, uma pintura discreta (ou não!).

  • André: Unhas espalhafatosas são, no mínimo, estranhas. Na minha opinião, elas não são bonitas, e muito menos práticas; com exceção das com desenhos que, dependendo do caso, ficam interessantes. Acho interessante a atitude em usá-las mas, infelizmente, eu teria vergonha de sair com uma mulher com as unhas nesse estilo.
  • Bruno: Ótimas para cantoras, atrizes e socialites. Sem preconceitos, mas em circunstâncias normais, pensaria duas vezes antes de chegar perto de alguém com esse tipo de unha. No máxmo uma nota 2.
  • Jony: Desenhos mais sutis são aceitáveis, ressaltam um cuidado da mulher com as mãos (e implicitamente do corpo, aparência e até saúde), mas quando muito extravagantes parecem algo mais apropriado para adolescentes.
  • Lucas: Prefiro que fiquem no zoológico. Sério, numa boa, assim.

Coloridas

Ganharam espaço no mercado brasileiro e internacional de cosméticos. A esmaltação clássica acabou perdendo espaço para os esmaltes coloridos, mas sem muita extravagância, como os mostrados acima.

  • André: Esse tipo de esmalte chama muito a minha atenção. Foram estes os quais direcionaram a minha atenção para as mãos das mulheres. Não são uma opção tão “flexível” como os clássicos, mas com uma boa combinação ficam realmente muito bonitos. O porém fica na mulher que vai usar esse tipo de esmalte, eles simplesmente não combinam nas mãos de mulheres mais experientes.
  • Bruno: Algumas mulheres não sabem a ocasião de se usar determinadas cores de esmalte, porém sou a favor desse tipo de unha. Acredito que esse seja um ótimo recurso pra quem quer chamar mais atenção sem ter que passar vergonha com o estilo anterior (espalhafatoso). Nota 9!
  • Jony: Cores mais destacadas são interessantes, em especial os tons fortes/escuros (mais atraentes ainda em pele clara). Particularmente, interpreto-as como mulheres de atitude até mais desinibidas.
  • Lucas: Talvez erroneamente ligadas à infantilidade, as unhas coloridas podem ser bem usadas quando combinadas de forma conecta com o figurino. Embora eu prefira discrição, um colorido as vezes vai bem, né. Passa um ar alegre. Tem que ter bom senso, mulher.

Texturas

As clássicas evoluíram para as coloridas que, por sua vez, evoluíram para os esmaltes com texturas. Holográficos, craquelados, flocados, com glitter, coberturas que mudam de cor, enfim… Uma infinidade de esmaltes que acrescentam um efeito diferente às nossas unhas.

  • André: Esse novo estilo tem a minha admiração, talvez por ser muito parecido com estilos de pinturas automotivas. O que interessa é que isso vai além das cores, o que é algo muito legal. Por exemplo, a textura flocada é parecida com as pinturas candy/flake feitas em automóveis; os esmaltes metálicos oferecem um acabamento muito bom; já os foscos são a minha mais nova paixão, nada mais lindo do que unhas pintadas com esmalte preto fosco com francesinha preto brilhante. Gorgeous!
  • Bruno: Sinceramente, ia escrever que gosto dessa categoria, mas lembrei de inúmeros comentários sobre isso a partir do momento que virou modinha. Acho que, no geral, as mulheres não fazem as unhas para os homens, elas fazem mesmo são para suas amigas, outras mulheres, que percebem logo de cara quando a mesma muda algo em seu visual. Dou nota 6!
  • Jony: Vejo texturas como uma escolha de mulheres mais “antenadas” em moda e que, provavelmente, sabem combinar com o restante do visual e causar boa impressão. Quando não são o elemento isolado de destaque da mulher, são muito bacanas.
  • Lucas: Textura é coisa de parede. Craquelê, fosco, sei lá eu. A única textura aceitável é a unha roída da timidez, do nervosismo em encontrar aquela paixão platônica nos corredores. Seria eu um conservador inveterado?
Anúncios