Tags

, , , , , , , , ,

Como eu disse no primeiro post desta seção, Guia básico de moda masculina, o perfume é um dos ítens essenciais no “guarda-roupas” e na vida de um homem. Contudo, são raros os que acertam na aplicação, já que, na maioria das vezes, ou tomam um banho de perfume e matam todas as pessoas em um raio de 1km, ou relaxam e não usam nem uma gotinha.

Além de errarem na mão na hora de usar perfume, muitos homens têm dúvidas sobre como escolher o tipo do perfume. Compostos de 75 a 200 essências, eles são únicos, independentemente da marca. Uma vez que a química e a oleosidade natural da pele de cada pessoa reagem de um jeito diferente com o aroma do perfume.

Para os homens, existem cinco “famílias olfativas” (grupos que classificam uma fragrância), cada uma com uma composição e que é fabricada a partir de compostos diferentes. As famílias olfativas são:

Cítricos: extraídas de cascas de frutas cítricas, como laranja e tangerina, essas fragrâncias são leves, frescas e usadas em muitos perfumes unissex: são muito populares. Exemplos: Calvin Klein One e Armani Pour Homme.

Orientais: compostos de misturas de especiarias exóticas como pimenta, anis, romãs e baunilha. Exemplos:  Pacco Rabanne Black XS e Ferrari Black.

Chipre: fabricados a partir de matérias primas advindas de musgos, normalmente de carvalho, os perfumes remetem a um aroma terroso e têm, assim, um tom mais clássico. Exemplo: Mochino Friends e Givenchy Pour Homme.

Amadeirados: extraídas de vários tipos de madeira, tabaco, musgos e couros, essas essências também são compostas por incensos e mirras. Exemplos: Malbec e Marc Jacobs Men.

Fougères: aromas não tão fortes, essas fragrâncias são compostas por ervas e plantas herbáceas. São a essência da maioria dos perfumes tradicionais. Exemplos: Legendary Harley-Davidson e  212 men.

Anúncios