Tags

, , , , , ,

Se as mulheres de hoje trabalham confortavelmente em terninhos, sem precisar usar saia e meia calça todo o tempo, só temos que agradecer a uma pessoa: Yves Saint Laurent. O “herdeiro” de Dior teve tanta importância para a moda quanto Coco Chanel e, até mesmo, o próprio Christian Dior. Nascido na Argélia – na época da colônia na França, em 1936, YSL teve o gosto pela moda despertado pela mãe, esposa do presidente de uma companhia de seguros.

Aos 17 anos saiu da casa dos pais para ir trabalhar com Dior em sua maison. Quatro anos mais tarde, ao falecer, Dior deixou Yves encarregado da maison, para que o mesmo tentasse salvar a label da falência.

Após bons resultados na Dior como estilista chefe, Yves foi convocado para o exército francês durante a guerra de independência da Argélia. Após algum tempo como militar, YSL voltou para a França e foi internado em um hospital psiquiátrico por causa dos maus tratos e humilhações que sofreu no exército.

Color Blocking inspirado em Mondrian, vestido A line e "le smoking"

Após 5 anos na Dior, YSL saiu da Maison e fundou sua própria marca: a Yves Saint Laurent, patrocinado por seu companheiro Pierre Bergé. Em sua Maison, Saint Laurent apresentou grandes tendências para a moda, como o vestido em A, o color blocking e principalmente o “Le smoking”.

O smoking feminino foi apresentado por Saint Laurent em 1966 e era composto de blazer, calça e blusa transparente. Mais do que uma nova tendência, o smoking feminino foi revolucionário pois sinalizava uma mudança no que as mulheres começariam a usar a partir daquele momento. Era a liberdade dada por Chanel que ganhava uma nova atitude.

Anúncios