Tags

, , , , , , , , , , , , ,

Ontem foi a noite da maior premiação da música. A 54ª edição do Grammy Awards reuniu algumas das mais importantes personalidades da indústria musical, e presenteou o público com performances fabulosas – vide Bruce Springsteen na abertura, seguido por Bruno Mars, que também arrasou – e homenagens – a Etta James e Whitney Houston, falecidas recentemente. Como de praxe, porém, não foi apenas na música que o Grammy chamou a atenção. A moda do tapete vermelho sempre é uma atração à parte. Vamos aos melhores e piores!

Adele fez seu retorno aos palcos na premiação, após meses afastada, devido a uma cirurgia nas pregas vocais. No tapete vermelho, a cantora usou um Giorgio Armani longo, preto e brilhante, com cintura bem marcada e manga três quartos. Adele é mesmo uma diva. O preto também figurou no modelo de Corine Bailey Rae, assinado por Christian Siriano – vencedor da quarta temporada de Project Runway. O vestido era um pouco abaixo do joelho, com barra trabalhada em babados enormes. Jessie J também arrasou com um Julien Macdonald em modelo sereia e tecido brilhante. O cabelo preso e o franjão completaram o look maravilhosamente bem.

Taylor Swift saiu da sua zona de conforto – de vestidos românticos e femininos – com o Zuhair Murad dourado de gola alta. O decote no peito é super moderno, mas o brilho e a silhueta feminina dão a personalidade de Taylor no modelo. Linda, linda. Kelly Osbourne foi de Tony Ward, um vestido simples, tipo deusa grega, mas com toques bastante interessantes, como o tecido brilhante e o drapeado na frente. Julianne Hough apostou num Kaufman Franco cinza escuro, tomara que caia, com detalhes pretos. Simples e bonita, mas moderna para combinar com o Grammy.

Aos piores, então. Anne V, a namorada de Adam Levine, também pecou pelo excesso de sensualidade. A fenda muito alta e os recortes a deixaram vulgar. E vamos combinar, a sandália de tirinhas e o cabelo “nem aí” ajudaram para deixar o look todo pobre. Fergie é sensual, nós sabemos, mas o vestido Jean Paul Gaultier ficou um pouco exagerado. Não que tudo nele seja ruim, o vestido é muito bonito, mas a transparência excessiva, combinada à lingerie preta de vovó por baixo, não foi uma boa escolha. Uma renda um pouco mais fechada e um body cor da pele renderiam um efeito muito melhor. O comprimento tipo mullet é difícil de usar, mas Robyn bateu todas as expectativas com o modelo branco nada lisonjeiro. As botas também não ajudaram nem um pouco.

Anúncios