Tags

, , , , ,

O britânico Anonymous era meu preferido para o Oscar de Melhor Figurino, não sei vocês, mas eu sou louca por filmes de época, principalmente os que contam histórias da monarquia, de reis e rainhas pois, geralmente, têm um figurino maravilhoso. Porém, por não ser muito popular, acabou perdendo para O artista, indicado ao Oscar que comentei na semana passada.

O filme se passa na era Elizabetana e apresenta uma das teorias sobre o misterioso William Shakespeare que, segundo o filme, pode não ser o verdadeiro autor de obras primas do teatro como Otelo e Romeu & Julieta.

No filme, o verdadeiro autor é o Conde de Oxford que, por ser da nobreza, não poderia exercer o papel de dramaturgo pois, na época, a única atividade permitida para um nobre era a da guerra, os demais trabalhos eram exercidos por serviçais e camponeses. Por isso, o Conde usou Will Shakespeare como “laranja”, sendo ele o criador e seu serviçal  o “autor” perante o público e a corte inglesa.

O filme inglês, dirigido por Roland Emmerich, tem em seu figurino um foco maior nos personagens masculinos, não que isso desmereça os figurinos femininos, que são de grande esplendor e repleto de detalhes. As roupas da Rainha Elizabeth I, é o único destaque feminino do longa, é responsável pelas roupas mais detalhadas, bordadas e de cores mais vivas.

Anúncios