Tags

, , , , , , , , , , ,

Nunca o mercado de jornalismo de moda foi tão grande no Brasil, e ele continua se expandindo. Nos últimos dois anos, as revistas especializadas no assunto dobraram de número no país, mudaram de estrutura e abriram espaço para mais profissionais. Essa foi a discussão que se instaurou no terceiro andar do Moinhos Shopping na noite desta terça-feira, 17, em Porto Alegre. Ministrado pelas Patrícias, o Moinhos Preview levou ao palco André Passos, fotógrafo, e Adriana Bechara, diretora de moda da revista Glamour – que acaba de ser lançada no Brasil.

Os profissionais deram detalhes sobre o funcionamento do mercado editorial no Brasil, que, segundo André, ainda é muito didático. O moodboard (um tipo de cartaz composto de imagens utilizado para criar o “humor” do editorial) tem uma página de referências para o stylist, uma página sobre atitude para a modelo, uma página de planejamento de luz para o fotógrafo. André teme que isso engesse o trabalho ao que está planejado: “O grande barato da fotografia é que ela acontece naturalmente. Os melhores cliques acontecem no momento que não é visto na rua, naquele movimento que não existe”. Ele acredita que o mercado de jornalismo de moda do Brasil ainda passa por um processo de “alfabetização”.

Em contrapartida, Adriana defende que o moodboard é, sim, necessário. A equipe só não pode se ater demais a ele. A jornalista também destaca o progresso ocorrido no mercado nos últimos anos: “Depois que saí da Vogue a assumi a Glamour, as revistas passaram por uma reestruturação, foram criados novos cargos e pudemos contratar mais pessoas”, explica. “Eu contratei um menino de 20 anos para ser assistente de stylist e isso é ótimo, porque ele vai ter uma formação muito mais completa na revista, sem os vícios da publicidade, por exemplo”.

O mercado

Para quem quer seguir no jornalismo de moda, o momento é propício: “O mercado está precisando de profissionais sérios”, diz Adriana. Hoje, a maioria dos jornais tradicionais dá espaço para a moda, e esse crescimento é confirmado por outros entendidos do assunto. Segundo um dado de Paulo Borges, idealizador e diretor artístico da São Paulo Fashion Week, a moda no Brasil só perde para o futebol em mídia espontânea, algo grande para o país que tem o esporte como paixão nacional.

Como ser um bom jornalista de moda

Adriana e Patrícia Parenza, uma das curadoras do evento, deram dicas para quem quer ser um bom jornalista de moda, e ambas concordam que a chave para a qualidade é informação.

“A informação é a matéria preciosa do jornalista, e não é só entrar num site ou ver um desfile”, sublinha Adriana. “Para você ser um bom jornalista de moda, você deve ter curiosidade pelo que é novo, por tudo que está acontecendo no mundo e que não tem necessariamente a ver com a moda.”

Patrícia diz que é necessário ler “absolutamente tudo” de moda, arte, música, cinema, todas as expressões artísticas: “A moda bebe em todas essas fontes. Então, se a pessoa não sabe a história da arte, do cinema, da música, ela não pode escrever sobre moda, porque ela não vai ter referência, ou e

mbasamento histórico e técnico para falar sobre algo”. Para a curadora, fazer faculdade de jornalismo também é fundamental, mas é interessante complementar a formação com um curso de moda.

A jornalista ressalta que muitas pessoas pensam que escrever sobre moda é fácil, basta saber que a calça é mais curta, é mais justa, a saia é longa, ou curta, ou ampla ou ajustada, quando, na verdade, tudo é muito mais amplo: “Tem que ir mais a fundo, pois a moda expressa o espírito do momento, o que é esse espírito, da onde ele vem”, pontua. “Apenas se estivermos completamente conectados com a arte é que vamos conseguir entender a moda.”

Moinhos Preview

O evento continua no Moinhos Shopping até a quinta-feira, 19 de abril.

O último dia de Moinhos Preview, 19, traz Samuel Cirnansck, que falará sobre identidade, estilo versus tendências e alta-costura no Brasill. O estilista também comentará seu desfile de inverno na SPFW, mostrando looks ao vivo.

Todos os bate-papos – com exceção da abertura – ocorrem no 3º andar do Moinhos Shopping (Rua Olavo Barreto Viana, 36, Moinhos de Vento, Porto Alegre), e a entrada é franca.

P.S.: Só para compartilhar meu momento de tiete com As Patrícias e o André Passos. Encontrei elas no corredor do shopping, depois do evento, e ele quando estava saindo.

Anúncios