Tags

, , , , , , ,

Em homenagem ao Lingerie Day que rola sempre em agosto, a volta de “O que eles pensam”  vai ter um tema muito especial: underwear. Por isso, veja o que nossos meninos pensam sobre o tema e não erre na próxima produção.

Vermelho: A cor fala por si, alguns adoram e outros acham completamente vulgar.

Lucas: Ah! Como é fabuloso o mundo daqueles que aprendem a apreciar uma boa cor vermelha. A rosa no tango, a cor do amor, da sedução! Usem, mulheres, usem muito vermelho, e procurem diversificar nos formatos. Mas guardem para ocasiões especiais. Ah! As ocasiões especiais…

Murilo: Não tem como errar de vermelho. Gurias que usam vermelho sabem o que querem. Para o fraco leitor que aqui se encontra, são poucas as coisas que podem superar uma fina lingerie vermelha, daquelas que a espessura da linha não chega a passar de um dedo. É delicada e provocante, a ponto de deixar qualquer um no teto.

Roberto: Normalmente eu desprezo lingerie vermelha. Mas se forem utilizados tons mais sóbrios e escuros (algo próximo ao bordô), pode ficar bem elegante. Os caso das fotos não tem nada de muito interessante. Com exceção do terceiro modelo, onde o bojo destaca o desenho do seio, esses cortes não me parecem ter a sensualidade como idéia principal.

Ulisses: Ah, finalmente! Aí sim dá gosto comentar moda! Muito bem gurias, era disso que eu falava desde o início! Vamos analisar lingerie todos os meses, isso? Não? Só em em agosto? Jura? Olha que eu até aprendo como se escreve “lingerie”, que é coisa que homem não sabe sequer soletr… Ok, ok, vamos lá: o vermelho. Olha, não me parece que as meninas usem lingerie vermelha no dia-a-dia (usam?). É algo desenhado mesmo para o momento do abate, quando o miserável do sujeito já está de joelhos e está esperando apenas o golpe final. Ele nem vai saber o que o atingiu.

Preto: Sóbrio e sexy, a cor preta fica bem em quase todas, principalmente quando há um contraste entre a cor da lingerie e a pele.

Lucas: Preto é básico, já diriam os antigos. Pobres tolos! Preto é o que há de mais moderno, hoje e sempre. Preto é dia a dia, preto é conforto, sem deixar  de lado as características fundamentais de uma lingerie. Preto é o Pelé da lingerie, preto é o Don Draper da lingerie. Sim, preto, muito preto.

Murilo: Não tem como errar de preto, ele emagrece, passa elegância. Por ser uma cor neutra, qualquer guria fica bem. O mais importante do sutiã preto: de vez em quando se destaca por trás de blusas brancas. Eles me lembram a mãe do Stifler. Melhor ainda se for daqueles bem redondos.

Roberto: Na dúvida, leve o preto! É geralmente elegante e sexy. Além disso, é uma cor coringa que combina com uma infinidade de tamanhos, modelos, cores e looks. O preto também ajuda a destacar jóias e acessórios metálicos, tanto prateados quanto dourados. Esses modelos me agradam mais que os anteriores. O primeiro look apresenta o corpo em uma nudez parcial passando a mensagem de “hoje eu quero aproveitar a noite”. Já o terceiro modelo valoriza as curvas do quadril, deixado os pensamentos masculinos concentrados no que a renda está escondendo. Mas se tratando de mistério, o segundo look é o mais interessante! Um sutien acetinado destacando-se debaixo de uma transparência atiça a imaginação de qualquer homem!

Ulisses: A lingerie preta, como tudo que é preto, é bastante elegante. Por mais que possa não ser muito usada no cotidiano, me parece a melhor escolha para momentos formais, ou mesmo  para a noite, sob um vestido da mesma cor… E aqui estou eu parecendo o Roberto de novo. De toda a forma, nossa, naquele hora específica (vocês sabem qual) as peças em negro também arrasam com a gente — e, verdade seja dita, qual lingerie não faz isso?

Branco: Angelical e feminino, o branco é sempre uma boa pedida

Lucas: Confesso que fico um tanto embasbacado com essa cor. Se eras tão branca a lingerie, por que nos faz enxergar arco íris? O que, a principio, poderia parecer tão meiguinho, pode se transformar em algo muito, muito chamativo. O branco é o caminho para uma explosão de ideias.

Murilo: Você pode usar branco sempre. Não tem erro, a não ser que tu seja 20 anos mais velha que o cara. O branco passa aquela noção de intocável, de guria difícil e tal. É perfeito se tu quiser conquistar o cara de primeira…

Roberto: Lingerie branca não tem o sex appeal dos modelos em preto. Mas pode tornar-se arrebatadora se investir no tom angelical que dá à mulher! O terceiro modelo é bem básico e na minha opinião, não traz um estímulo extra ao visual feminino. O segundo, ao apostar num modelo liso com aplicação de rendas, cria um look moderno, mas com um ar retrô. É uma peça fashion bem interessante e um tanto ousada. O primeiro modelo, por sua vez, faz uma releitura do burlesque, com cinta-liga e calcinha combinadas. Este é um estilo pensado especialmente para a sedução. Mistura de lingerie, cinta-liga, meia 7/8 e atitude na cama são uma arma mortal do arsenal feminino!

Ulisses: Vem cá, depois de analisarmos as lingeries por cores, a gente talvez possa fazer uma análise de modelos, sabe? Não? Hum, pensem na ideia, imagina que hilário o Roberto sugerindo combinações com cinta-liga e o escambau. Desculpe, voltemos ao assunto: o branco me parece a mais coringa de todas, pode ser usada em qualquer situação, e me parece a preferida do dia-a-dia. Não se corre o risco dela ficar delegante quando usada com uma blusa mais leve que pode ter uma certa transparência (o preto, neste caso, é acusador). E na hora do “vem cá, meu nêgo” também tem um efeito…

Estampado: Vale tudo, de oncinha a petit pois, só não pode misturar estampas.

Lucas: Sou um apreciador de lingeries. Elas, por si só, já são altamente apreciáveis, então me sinto quase aplaudindo o espetáculo que são certas criações nesse ramo. Usem, usem sem medo, quaisquer tipos de estampa, desde a toalha de mesa até o xadrez. Isso deixa o peão, com o perdão do trocadilho, preparado pro xeque mate.

Murilo:  Eu não curto estampas. Óbvio que isso nunca me impediria de algo ou me faria dizer: “Ahh, não te quero mais porque tu tá usando zebrinha”. Prefiro algo natural, liso ou quase transparente. Enfim, há estampas e estampas…Conclusão: Se você quer conquistar um homem, especificamente o sujeito aqui, o lugar da sua lingerie é no pé da cama dele…

Roberto: Assim, como os espadrilles comentados alguns meses atrás neste blog, ao falar sobre lingeries estampadas entraremos em um terreno pantanoso. Como existe uma infinidade de estampas, estes modelos devem ser usados com muito critério. Se a idéia é agradar o homem, é sempre bom sondá-lo antes para saber se lhe agrada o desenho em questão. O floreado é bonito, mas sem sex appeal. Já o modelito com oncinha, assim como qualquer coisa que use esta estampa, é, na minha opinião, vulgar e cafona. Dos 3 modelos apresentados, o petit pois é o que me agrada mais. Ele tem um corte bonito e combina com o tom de pele da modelo. Inclusive, esta foto ficaria excelente se a moça estivesse chupando um pirulito no estilo “Lolita”!

Ulisses: Aí depende do tipo de estampa — o que também se define pelo estilo da guria. Oncinhas e zebrinhas podem combinar com o recente “Piriguéti Power” (tá na moda, né? Não? Ufa!). As estampas mais fofas (como a da segunda e da terceira foto) são super bonitas. Sem contar que elas normalmente aparecem em tecidos mais confortáveis (é uma observação baseada na experiência, sem nenhum referencial teórico ou acadêmico) e me parece que, de maneira geral, as meninas preferem as confortáveis do que as super-sexies. A gente gosta de todas — acho as mais confortáveis uma delícia também, inclusive no sentido do toque. Como eu digo, vocês são musas de qualquer forma. Podem pegar pesado com a gente, nós aguentamos!